8 Coisas para Não Dizer a Alguém Depois de um Aborto por Kassi Underwood

Blank white speech bubbles

Eu queria ter feito essa lista 10 anos atrás. Depois que eu fiz um aborto, ninguém sabia o que me dizer. Nem mesmo o Larry, meu terapeuta. Pobre Larry. Olhando pra trás, percebo que eu também não saberia o que dizer pra mim mesma. Uma em cada 3 mulheres vai experiencia um aborto ao longo de sua vida. E também os homens precisam ser ouvidos. Ainda assim nós não somos ensinados como falar com pessoas que fizeram um aborto.

A primeira coisa a saber é que cada pessoa experiencia o aborto de um jeito. Muitas das minhas amigas jamais olharam para trás. Abortar, para elas, simplesmente não foi nada demais. Mas eu senti um monte de coisas. Alívio. Arrependimento. Confusão. Dúvida. Apatia. Curiosidade. Confiança. Excesso de confiança. Contentamento.

É preciso coragem, paciência e um amigo empático para ouvir sobre a experiência de aborto de alguém, mulher ou homem. Nas palavras da pesquisadora Dr. Brené Brown, “empatia é se sentir com as pessoas”. Obrigada por vir aqui e se sentir conosco.

Mas você não era uma pessoa instável antes do aborto?

Nós somos pessoas inteligentes. Nós estamos plenamente conscientes da vida que levamos. Se nosso estado mental antes de tudo for relevante, então nós vamos discuti-lo no nosso próprio tempo. Viemos te procurar porque queremos falar sobre como estamos nos sentido agora.

O que dizer: Estou feliz de você ter me procurado pra falar sobre isso.

Isso foi há anos atrás, menina. Será que não é hora de seguir em frente?

Nós sabemos exatamente quanto tempo se passou. Se a gente pudesse ter seguido em frente, a gente já teria feito isso. Algumas pessoas sentem seu aborto como a perda de sua própria identidade, ou de sua criança, ou de sua chance. Se por um lado é importante não presumir nada sobre porque a pessoas se sente deste ou daquele jeito em relação ao aborto, você pode nos dizer quão normal nós somos por sentir o que sentimos. Nós devemos ser aceitos exatamente como somos.

O que dizer: Eu sei que isso aconteceu há muitos anos, e tudo bem se você ainda estiver muito, muito triste.

Toda essa tristeza faz parecer que você é contra o aborto.

Nossas emoções podem não ter nada a ver com nossa opinião sobre o aborto. Eu conheço mulheres que marcharam em Washington pelo direito de escolha enquanto no âmbito privado elas se arrependiam de suas decisões. Conheço mulheres que acreditam profundamente que o aborto é errado enquanto sentem que abortar era a decisão certa para elas. Nossas histórias pessoais nem sempre refletem nossa opinião política. Quando te procurarmos, por favor não cruze as nossas emoções com uma narrativa política.

O que dizer: Não existe jeito certo ou errado de se sentir.

Você não estava pronta para um bebê.

Isso nos diz que somos inferiores, irresponsáveis e imaturas, o que simplesmente não é verdade. Nós tomamos a decisão mais madura e responsável que pudemos à época. Algumas de nós sentem orgulho da independência que conquistamos no percurso dessa decisão. Se te dissermos que não tivemos acesso a todos os recursos de que precisávamos, lamente conosco. Lembre-se de alguma vez em que você não teve o que precisava. Reconheça que somos dignos de ter tudo aquilo que precisamos – todos nós.

O que dizer: Me parece que você sabe o que é melhor pra você.

Bom, eu apoio seu direito de escolher.

Essa aqui soa como apoio, mas encerra a conversa. O que a gente precisa é espaço pra se conectar com você. Se a gente quisesse saber sua opinião política, acredite, a gente teria perguntado. Se não perguntamos, então talvez a gente não precise saber.

O que dizer: Tome seu tempo, eu estou te ouvindo.

Eu não apoio o que você fez, mas eu apoio você.

Pode ser difícil se sentir incondicionalmente amado e apoiado por alguém que condena o que você fez. Você não precisa apoiar o que fizemos, mas quando estiver nos apoiando, por favor, deixe suas opiniões e expectativas na porta. Depois entre, ouça o que estamos dizendo e tente se colocar no nosso lugar.

O que dizer: estou aqui pra te dar apoio.

Não, na verdade era um(a) bebê / criança / feto / embrião / zigoto / aglomerado de células.

Muitos de nós fizeram a pesquisa. Nós conhecemos a terminologia. As vezes é preciso força pra usar a palavra que a gente prefere. Por favor, não nos corrija. Ao inés disso, use a nossa terminologia quando estiver falando conosco.

O que dizer: Você pode chamar de feto ou de bebê – era seu e você pode chamar como quiser.

Mas você realmente está feliz agora?

Algumas de nós realmente estamos muito felizes depois do procedimento, por razões tão grandes e diversas que eu poderia escrever páginas e páginas sobre elas. E mesmo ´que a gente não fique feliz logo após, muitas de nós vai ficar feliz no seu próprio tempo. Se estamos te dizendo que estamos felizes, talvez a gente tenha trabalhado muito pra chegar nesse lugar extraordinário. Por favor, comemore com a gente. Faça uma dancinha. Tim-tim. Uhu.

O que dizer: estou feliz que você se sinta aliviada e renovada.

Se você já passou por um aborto, o que você acrescentaria a essa lista? O que mudaria

Kassi Underwood é autora da memória May Cause Love: My Humbling, Heartbreaking, Hugely Satisfying Search for Enlightenment After Abortion, disponível para pré pedido: https://www.harpercollins.com/9780062458636/may-cause-love.
Esse artigo foi originalmente publicado aqui.